sexta-feira, 27 de fevereiro de 2009

Adjetivos e Carnaval

As pessoas envelhecem!


Neste carnaval 2009 me permiti visitar velhos amigos em lugares que me causavam tenebrosos calafrios. Tomei a liberdade de pegar um ônibus no melhor estilo "cata jeca" e durante quase 4 horas viagei. Sai da minha pequena Medeiros e fui, de volta, muitos anos depois, a traumatizante e bonita Araxá com o intuito de rever pessoas que fizeram parte da minha vida até uns 8 anos atrás.
Chegando lá, na velha e inalterada rodoviária, já me deparei com a cidade chovendo e com o Gregório barbudo e cabeludo me esperando para darmos início as festividades de carnaval. Fui super bem recebido pela Tia Beatriz com pão de queijo, que comi demais. Na sequência revi a Laurinha, essa tinha tempo que eu não via. Laura é uma moça peculiar, extremamente engraçada, inusitada, alegre, alto astral e de bem com a vida. Ficamos rindo, nos abraçando e tudo o mais... minutos e ligações depois a casa da tal já estava repleta de pessoas conhecidas. Aquela sensação de 'ciniro-estranho' ficou presente no ar... No entanto eu sou muito engraçadinho e social nestes momentos - o gelo foi quebrado e saimos pra beber cerveja, aliás era chopp...
Depois de andar de carro horas e minutos por Araxá (pois não nos decidiamos a qual lugar ir) acabamos indo ao velho e inalterado cebolinha burg. Mas esse passeio - pelo menos para mim - foi muito válido. Pude passear pela cidade e ver que Araxá, de fato, mudou muitísismo pouco. Alguns pontos cruciais desapareceram para dar lugar a outros. Sumiu o Expresso, a Centro Rio, a Deliciosa, o BIG.. cercaram a pracinha da CEMIG, mudaram de lugar o Foto Santos, a Só Cd´s e enfim.. alguns lugares. Em geral, reparei que a juventude araxaense atualmente vê malhação demais, pode ser até influência da menina de araxá que está contracenando e tals, mas as gírias do tipo "tá de bobeira" e "cortando mô prego" continuam a pairar. Nesse passeio reencontrei também o Zé Augusto e a Paula.
Continuando, tiramos fotos e rimos pra caramba até o ponto em que um dos garçons educadamente mandou que nós calassemos e não batessemos na mesa. Na verdade é que o chopp acabou fazendo efeito.
A noite terminou com uma sessão de fotos e risadas na porta da velha e inalterada Estação Doce, lugar onde me lembro bem de ter participado do Circuito Telemig Celular de Cultura e ter assistido o grupo Galpão, uma apresentação de circo e até uma oficina de malabarismo (arte qual sei executar com perfeição até hoje).
Sem poder deixar de mencionar fui lembrado carinhosamente por meus antigos/atuais e eternos amigos o quão fui chato no ensino médio, frizando é claro, o inesquecível terceiro ano - para os íntimos 3o ELT. Fiz votos de continuar legal (como sempre fui) e a noite terminou assim.


Uma síntese das pessoas que revi: Gregório, Thiego, Laura, Valter, Marco, Letícia, Priscila (irmã da Laura), Nina (cadela da Laura), Mãe da Laura (esqueci o nome!), Tia Beatriz, Pedro, Julia, Gilberto, Mãe do Gregório(esqueci tb o nome!), dezenas de parentes do Gregório que não sei o nome, Sandra(mãe do Thiego), pai do Thiego(não sei o nome..), Zé Augusto, Paula... e principalmente.. depois de muitos anos.. revi a Mariana de Goiânia.. meu Deus do Céu! Puta que Pariu! Que saudade de você Mariana!!!!


Pra fechar gostaria de dizer o quanto essa experiência é interessante. Pensem, você convive com as mesmas pessoas todos os dias durante três anos com apenas um compromisso: Estudar e Zuar. Os vínculos criados nessa fase 14-17 anos são muito fortes. Passam-se alguns anos e de repente todos retornam para sua vida, como se o último dia de aula tivesse sido ontem. Eu em especial pude viver isso de forma mais intensa pois havia brigado com todo mundo, fiquei em alguns desses anos propositalmente incomunicável. Mas mesmo assim, parecia que conhecia todos de uma forma tão, mas tão íntima, que quando me vi estava rindo, falando palavrão, xingando - me divertindo - todos se divertindo.
Você nota claramente a diferença de idade e maturidade nos olhos das pessoas, na conversa, nas idéias e nas experiências compartilhadas, enquanto que, as feições ficam, as expressões são as mesmas. Isso é mágico. Isso atravessa qualquer tempo e barreiro. Isso é amizade.



Seguem duas fotos. Uma tirada em 2001 no Barreiro em frente ao termas e outra, agora, no Carnaval de 2009 em frente a Estação Doce. Quase a mesma escadaria e quase as mesmas pessoas. São praticamente 8 anos de diferença... alguns com menos cabelo, outros mais altos, outros mais cabeludos, outras mais belas.. enfim, o que vale é o comparativo.





4 Comentários - :

Valter disse...

Sim, eu assino seu blog. Primeiramente, seu veadinho como assim vai embora sem despedir de ninguém? humph!
"outros mais altos", quem????
Você também encontrou o Marcelo [pausa dramática]

"Isso atravessa qualquer tempo e barreiro" ->barreiro? olha só seu inconsciente perturbado se exteriorizando.

Até a próxima.

le disse...

Q coisa linda...

..::ma®кIn::.. disse...

fala serio...
fikou mto maneiro isso aki heim...
kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk

mas falando serio msm,
foi mto bom ter te encontrado anos depois e mto menos chato - nao q vc esteja chato agora, mas...

o q posso dizer eh q realmente, dpois de tantos anos "afastados", qdo nos encontramos eh quase como se nenhum desse anos tivesse passado...
talvez por tdo q foi o cefet - para o bem e para o mal - pela intensidade q foi e pela dificuldade q foi - principalmente pra vc neh...

sera q daki a algns anos vc volta a araxa pra mais um carnaval desse?

vc bem q poderia ter fikado mais algumas horas pra q pudessemos nos despedir direito neh... assim, como se isso fosse extremamente importante sabe!

mas vlw pela aparicçao surpresa...
gde abraço
e ate a proxima...
- ao som de qquer musica sertaneja q tocou tdo o tempo, aff -

Thiego disse...

É!
O mundo dá voltas e voltas..
Alguns muitos anos fazem muita difença em cada pessoa.
De qualquer maneira, acabei de ver ali em baixo que Britney é uma palavra chave para ganhar visitas
kkkkkkkkkkkkkkkkkkk
Abraço

Postar um comentário

Por favor! Comente! Pode ser qualquer coisa!