terça-feira, 19 de janeiro de 2010

Cinema americano de olhos azuis

Olá a todos!
Estou vindo rapidamente ao blog nesta semana para fazer uma observação quanto a uma situação que vi.

Está por sair aí a adaptação do seriado animado americano de grande sucesso Avatar - The Last Airbender para as telas do cinema. O filme que vai ter o mesmo nome do desenho vai retratar uma aventura sem vínculo com a série exibida pela Nickelodeon, no entanto, usará os mesmo elementos. Tenho muita expectativa por este longa pois sou fã da série. Vejam o trailer a seguir:



Uma das coisas legais do desenho é que ele explora todo tipo de raça da terra e suas respectivas culturas. Existem personagens negros, brancos, chineses (amarelos), esquimós, mulatos e muitos outros. Cada raça tem cultura própria, vestimenta própria, costumes e comportamento. Situação que de forma rica e criativa é muito bem retratada na série.

Visando sempre altos lucros e produção americana que é, eu não espero por um filme sem modificações. Logicamente sempre se tenta atingir o público não fã e pouco conhecedor da origem do filme, fato que, muitas vezes, altera drasticamente a essência da história.

Pois bem, visto isso, eu esperava modificações no enredo, nos personagens, na dinâmica em si, no entanto não esperava modificações na cor dos personagens, principalmente no que tange Heróis e Vilões. Não estão entendendo o que eu estou dizendo?

Vejam a imagem de como vão ser os atores do filme:


Por quais motivos o cinema americano está sempre por privilegiar atores de olhos azuis e pele branca?
Não acredita muito nisso? Assista as primeiras versões de clássicos como A Fantástica Fábrica de Chocolates ou Sweeney Tood: O Barbeiro Canibal. Muitos filmes assim jogam na cara do público a preferência por atores brancos, muitas vezes até em papéis que nem os cabem direito, como é o caso de Avatar The Last Airbender. Neste caso, os personagens Soka e Katara são originalmente povos do gelo, esquimós, de pele negra. O que fez a produção do filme pensar em dois atores insossos e sem graça como os brancos aí?

Não quero enveredar muito neste assunto pois pode ser apenas uma impressão pessoal, no entanto, achei "interessante" e reflexivo o acontecido. Espero que todos pensem e tirem suas próprias conclusões.

Enquanto pensamos, esperemos pelo mesmo até as telas menos racistas das salas de cinema do Brasil.

1 Comentários - :

Gregório disse...

Nunca assisti a série, mas o filme me atraiu.

Um dos pontos é o diretor, M. Night Shyamalan, um dos meus preferidos.

Engraçado é que vi o trailer no cinema, e ignoraram o título "Avatar". Ao que parece, o filme será chamado "O último mestre do ar" no Brasil.

Postar um comentário

Por favor! Comente! Pode ser qualquer coisa!