terça-feira, 20 de abril de 2010

Evento: Balanço do Portal do Software Público e lançamento da solução Geplanes

Além de muitas outras coisas, o bom de participar de uma comunidade na internet é que sempre estão ocorrendo eventos interessantes e você acaba por conhecer muita coisa boa. Uma dessas comunidades interessantes e que recomendo é o CATIR, no qual se insere o já famoso Portal do Software Público Brasileiro. Estive hoje em um evento organizado por esta e vou aqui fazer um breve relato a vocês.

O evento realizado no Bairro São Lucas em Belo Horizonte, no Sindicato das Empresas de Informática de Minas Gerais (SINDIFOR) tinha como objetivo apresentar o atual estágio do projeto do Portal do Software Público (PSP) e na sequencia fazer o lançamento da solução para gestão estratégica Geplanes da software house LinkCom.

Por Nazaré Bretas, Cordenadora de Sistemas e Interoperabilidade do Ministério do Planejamento, a palestra inicial mostrou um balanço dos últimos três anos de projeto PSP. O portal que já conta com 39 softwares livres nada mais é do que um repositório de softwares interativo, onde o usuário cadastrado pode baixar e utilizar sob licença GPL qualquer ferramenta e na sequencia auxiliar no aprimoramento das soluções. Todas estas lá disponíveis exigem que uma comunidade ativa exista, com o intuito de sempre estar-se melhorando os produtos oferecidos. Ela comentou que já são 70 mil usuários cadastrados e claro, rastou muita mala de coisas que provavelmente não são tão contundentes assim. 

Eu acho a idéia do PSP fantástica! E conheço bem o processo de utilizar o PSP como também o de submissão de um software ao portal. Como ela bem colocou na apresentação só existem três requisitos para que um sistema seja elevado ao título de Software Público:
1 - Possuir comunidade ativa;
2 - Funcionar (ela não explicou bem o que vem a ser esse "funcionar");
3 - Condizer com as normas de licenciamento GPL.

Momento de perguntas na apresentação

EU, apesar de ser um fã assumido de softwares com bons efeitos visuais de "penteadeira", "brilhos", janelas que saltam, "xurenhennsss" e "tcharannnsss", quem é da computação sabe que software não é apenas interface e "livre". De longe esses deixam de ser os requisitos essenciais de um bom software. Além do bom código-fonte, um bom software precisa essencialmente agregar valor ao negócio, ao contexto no qual o mesmo coexiste. E claro, ser tecnicamente bem construído.

Em geral, já testei algumas das ferramentas disponíveis no PSP. Já conversei também com várias pessoas que fizeram o mesmo. E todas sempre tem a mesma impressão final: Pouca qualidade técnica na construção dos mesmos. Sempre fiquei intrigado com isso, até o dia de hoje. Obtive a resposta quando vi que para alçar um sistema ao PSP não se é feita uma avaliação TÉCNICA. Perguntando a Cordenadora sobre essa questão obtive a seguinte resposta:

(xiitismo open source mode = on)
"Acreditamos no poder da comunidade livre! O software livre é uma força transformadora! Mesmo que o software seja ruim, se funcionar ele poderá ser melhorado ao longo do tempo!" 

Eu até concordo quando ela diz que o software pode ser melhorado ao longo do tempo, mas dispor num canal tão importante um software sem qualidade na esperança que o mesmo melhore... pode ser também um tiro no pé. Vejam bem, não estou lançando críticas ao projeto em si, mas na forma pela qual se constroí o mesmo. Exceto por alguns excelentes projetos como o CACIC, BrOffice, Ginga, i-Educar, MDArte e outros, em uma analogia, percebe-se que o governo trata o portal como se fosse essas entregas de casas populares ao povo. Constroí-se qualquer coisa só porque quem isso quer, provavelmente, nada disso teve antes. E em seguida, vendem a idéia como se tivessem descobrido a cura do câncer!

Não se pode garantir que um software será melhorado apenas pelo fato do mesmo possuir comunidade livre. O sistema pode ser descontinuado, pode ser difícil conseguir suporte adequado e tudo o mais. Inclusive quando também foi indagada por outro ouvidor da palestra sobre o modelo de suporte destes sistemas ela respondeu dizendo que o melhor e único suporte eram as comunidades. Agora vejam bem, no próprio PSP existe uma área para cadastro de prestadores de serviço. Não seriam estes os melhores prestadores de suporte? Digo, em nível profissional de atendimento?

Creio que todos esses problemas seram resolvidos brevemente com a implantação do novo projeto de qualidade em software do governo, o 5CQualiBR (http://www.softwarepublico.gov.br/5cqualibr/xowiki/). Este sim é um projeto qual eu admiro. É interessante como o governo brasileiro tem aberto os braços para a questão da tecnologia, adoro isso. A palestrante não falou muito mais coisas além de vender demais o peixe do PSP, puxar saco de políticos locais e de figuras do mundo "Open Source Governamental". No fim foi uma boa apresentação.

Dando continuidade ao evento foi apresentada a mais nova solução disponível no PSP: O sistema para gestão estratégica Geplanes. Uma ferramenta no minímo fantástica! E aqui, do ponto de vista técnico e também de negócios.

O Geplanes automatiza muitas e muitas tarefas de planejamento e gestão. Se utiliza de conceitos de WEB 2.0 para aplicar metodogias consagradas no mundo da governança como construção de BSC, Swat, RACI, planejamento de metas, auditorias e estratégia de gestão. Foi desenvolvido para a Fundação Ezequiel Dias pela empresa belo horizontina LinkCom. Roda sob a plataforma JAVA e banco de dados PostgreSQL (Dá-lhe Postgresssss!!!!). Quem é da governança vai adorar o sistema que já está disponível no PSP.

Bem pessoal, no mais foi isso mesmo, o evento teve um bom Café no início e no final, além de um público interessante. Sucesso ao Geplanes nessa nova caminhada e se precisarem, contratem a LinkCom, afinal é uma empresa que tem olhos para todas essas questões.

Até mais.

0 Comentários - :

Postar um comentário

Por favor! Comente! Pode ser qualquer coisa!