quarta-feira, 11 de março de 2015

A importância do ceticismo

Baixa escolaridade e muita religiosidade pode ser uma boa combinação para gerar ignorância, especialmente em países subdesenvolvidos como o Brasil.

Todos os anos vemos charlatões ganharem muito dinheiro com o pouco senso crítico do povo. São desde igrejas que realizam curas e vendem milagres, passando por práticas espíritas, toda a sorte de tipos de aplicação da astrologia, até fantásticas "descobertas científicas" como a mostrada na reportagem do SBT em seu jornal da tarde que segue. No vídeo abaixo, o cara diz que inventou um carro movido a água com adaptações feitas por ele mesmo no motor. E muita gente acredita! O SBT aparentemente acredita.

Homem que "descobriu" uma forma de abastecer seu carro com água realizando modificações num motor que gera hidrogênio - Reportagem do Jornal do SBT.

O mais interessante é que não só o SBT, mas toda a TV brasileira também segue a linha, afinal o povo emburrecido compra! Em outras palavras, para se promover e sabendo que isso tudo dá IBOPE existe um tratamento dos fatos como se fossem esses reais, vide também os famosos casos dos ET´s Bilu e de Varginha. Esse último inclusive (ET de Varginha) mexeu bastante com a sociedade numa época em que a ignorância parecia ser muito maior. O povo comprava ainda mais fácil que hoje. Pode ser que se você ver as reportagens da época agora, alguns anos depois, você se perguntará "Como alguém podia acreditar nisso?". Na época, também aparentemente, era muito mais fácil fazer as pessoas engolirem qualquer história. Não obstante os níveis de escolaridade eram bem mais baixos nesse período em comparação a hoje.

Na verdade esse fenômeno da enganação acontece de forma mais e mais sofisticada conforme o tempo passa. Por exemplo, até que James Lind realizasse em 1747 um dos primeiros ensaios clínicos da história para averiguar as reais causas do desfalecimento de marujos em longas viagens pelo mar e assim, descobrir que a falta de vitamina C causa sérios problemas ao organismo, todo mundo acreditava que o sal apodrecia as pessoas [1]. Oras, o sal não apodrece metais, madeira e outros diversos materiais? É lógico então pensar que também apodrece humanos. Para a época era óbvio! Hoje é só engraçado.

Primeira reportagem sobre o ET de Varginha exibida após o caso ter ocorrido em Minas Gerais - Reportagem do Fantástico da TV Globo.

Reportagem sobre o suposto ET Bilu, um ET Brasileiro. Reportágem da TV Record.

Contudo, como cita Carl Sagan, um famoso astrofísico americano: "Eventos fantásticos exigem evidências fantásticas". Mas para para vincular um incrível fenômeno a uma incrível evidência são necessários métodos rigorosos. Poucas pessoas se perguntam quando assistem televisão ou leem algum portal de notícias sobre qual o método [2] utilizado para comprovar os fatos que eles estão ali assistindo. Simplesmente engolem a história só por esta estar sendo veiculada na TV ou no jornal. E por julgarem verdade começam, em muitas das vezes, compartilhar tudo nas redes sociais com dizeres de "Parabéns", "Incrível", "Isso o governo não vê", "Para quê escola?".

Escola justamente para que você não compartilhe e nem acredite neste tipo de besteira!

Só para ilustrar, nos EUA existe uma fundação chamada JREF[3], foi criada por um ilusionista que construiu sua reputação trabalhando com embasamento científico e um rigoroso método de comprovação de hipóteses, seu nome é James Randi. Essa fundação mantém há 30 anos um desafio chamado "Desafio do 1 milhão". QUALQUER um que, sob o método empregado por ele, conseguir comprovar QUALQUER atividade de cunho paranormal ganha 1 milhão de dólares, simples assim. Você vai lá, faz levitar um objeto com a mente ou se comunica com um espírito e pronto, um milhão na sua conta. Nem preciso nem dizer que ninguém conseguiu até hoje pôr as mãos nesse dinheiro. E nem vai pôr, afinal, paranormalidade é uma grande besteira, como também é besteira as cirurgias espirituais feita por "hospitais" espíritas como os do médium João de Deus mostradas no próximo vídeo.

Caso famoso, inclusive internacionalmente, do médium João de Deus que realiza cirurgias e curas espirituais.

João de Deus fez fama e sucesso, apareceu em TV´s do mundo todo com seu método de extrair tumores e outros males realizando cirurgias sem materiais próprios, sem cortes e sem anestesia. Excursões são organizadas para ir até o seu centro espírita. Milhares de pessoas em busca de cura. O negócio é tão bem organizado que existe tudo! Gente que dá depoimento falando que está curada, um lugar com pintura clara e fotos antigas pelas paredes, todo mundo se veste de branco, existe uma farmácia que receita passiflora (comprimidos de maracujá que você pode comprar em qualquer farmácia), existe forte apelo religioso e, claro, a figura icônica dele próprio e de seus auxiliares - como anjos. Comum é perceber, até pelas reportagens, que grande parte das pessoas que consomem os serviços são pessoas de mais idade ou de baixa renda (escolaridade e religiosidade). No mais, essas cirurgias não são populares só no Brasil, mas em vários países do mundo. James Randi, o dono da fundação que citei a pouco, mostra como essas cirurgias espíritas feitas a frio, sem dor, são realizadas. Ele aprendeu a fazer, ele encontrou charlatões que lhe ensinaram e assim, no vídeo a seguir mostra exatamente, passo a passo, como é o método.

Como realizar uma cirurgia espiritual. Documentário da Fundação James Randi.

Muitas pessoas justificam essas práticas dizendo que, apesar dos pesares, essas pessoas dão esperança a quem está doente.

"Há.. mas eles pelo menos ajudam muita gente..."

Vale citar aqui o famoso caso do respeitado pastor americano Kenneth Hagin. Tanto ele, quanto sua irmã e seu genro, morreram de câncer e o último de doença do coração jurando terem sido curados pela fé [4]. Esse não é um caso isolado, no Brasil líderes religiosos como Edir Macedo, RR Soares, Valdemiro Santiago e Silas Malafaia vendem curas em suas instituições TODOS OS DIAS, inclusive na TV, lugar onde as pessoas passam a acreditar nessas coisas. Não existe estatística, em lugar nenhum, para o número de pessoas que morrem achando que já estão curadas pela fé. Nossas leis, nesse sentido, permitem que você procure um hospital ou uma igreja se ficar doente, você é quem sabe. O problema é que nestes casos a falta de educação leva a pessoa a se tornar um fervoroso cego e por consequência, a leva também a consumir esses serviços de cura falsa.

Certa vez uma pessoa muito religiosa me disse que eu não estava ainda preparado para conseguir entender esse processo de cura pela fé. Diante do que vejo, entendo que nunca vou estar. Outra pessoa com perfil bem parecido me disse também em outra ocasião que da fé não preciso esperar explicações. A ladainha é sempre a mesma, o que não muda é o ciclo da coisa: Um esperto inventa, um bobo acredita, o esperto ganha dinheiro e o bobo perde!

O carro movido a água não tem nada de diferente das cirurgias do João de Deus (que inclusive não optou por "cura espiritual" quando teve câncer. Ele foi a um médico de verdade! [5]). A linha entre fé e ignorância é muito tênue, por isso, um pouco de ceticismo e educação não faz mal a ninguém.

[1] https://microciencia.wordpress.com/2011/03/31/james-lind-1716-94-e-o-primeiro-ensaio-clnico/
[2] http://undsci.berkeley.edu/article/intro_01
[3] http://web.randi.org/
[4] http://www.letusreason.org/wf25.htm
[5] http://g1.globo.com/goias/noticia/2015/09/internacao-de-joao-de-deus-em-sp-faz-movimento-cair-em-abadiania-go.html
Obrigado por ler esse texto!
Grande abraço!